Pelo menos dois atiradores se envolveram no ataque a uma família em Niterói

[ad_1]

Segundo a Delegacia de Homicídios de Niterói, Itaporí e São Gonçalo, pelo menos dois atiradores participariam do evento que culminou na morte de uma casa que continha uma criança na noite de 17 de março, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Janeiro. Isso porque no local do crime foram encontrados fuzis calibre .40.

O carro em que a família viajava foi atingido por mais de 20 balas na frente e nas laterais. Ou que Felipe Rodriguez, 24 anos, levou mais de dois tiros. Nove acertaram o driver do aplicativo. Sua esposa Raisa Santos, 23 anos, tem três filhos da família, Miguel Felipe dos Santos, de sete meses, e dois enteados.

Fotos tiradas por câmeras de segurança e obtidas pela polícia mostram o carro em que a família acusada viajava pelas ruas desertas do bairro Baldidor momentos antes do ataque.

Câmeras de segurança mostram o carro da família se movendo momentos antes de ser atingido por tiros / Reprodução/Polícia Civil

Em segundo lugar, após as investigações, o motivo da execução da família foi verificar as contas dos traficantes. Após a passagem do Fazendo pela PM, Felipe pediu R$ 50 mil para oferecer a Naíba para identificar um suposto informante da polícia que comprometeria os criminosos.

O suposto informante está desaparecido e Felipe poderia ter sido pago pela informação. Porém, quando não tivéssemos mais certeza de que o motorista do carro não era policial, os criminosos decidiriam matá-lo.

Neste 3 (quarto) dia, Wesley Pérez da Silva Sodré, um dos dois envolvidos na morte da família, foi preso em São Gonçalo. Pensando bem, acusado de ser um dos chefões do tráfico de drogas na região, Lucas Lopez da Silva, conhecido como Naypa, ainda é um fora-da-lei.

A Polícia Civil também investiga o paradeiro do suposto informante que Felipe denunciou ao grupo.

[ad_2]

..

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *