Sergio Scariolo e Miguel Mendes renovam formação nacional | Basquete | Esportes

[ad_1]

Elisa Aguilar, que foi reeleita presidente da Federação Espanhola de Basquete para o próximo ciclo olímpico (2024-2028), anunciou hoje, quarta-feira, a renovação nesse período dos dois treinadores nacionais absolutos: Sergio Scariolo como treinador da seleção masculina e Miguel Mendes. Como responsável pela seleção feminina.

“O facto de o Sergio e o Miguel continuarem até 2028. Esperamos muito deles no processo de renovação geracional em que a nossa equipa está imersa. jogadores emergentes que enchem nossas vitrines de títulos e ainda temos representantes de gerações que “Vocês nos fizeram vencer e nos divertir muito”. Na sede do Museu FEB em Alcobendas.

De 2015 até hoje, Sergio Scariolo enfrenta a segunda fase no comando da seleção espanhola, após o período 2009-2012. No total, conquistou as quatro medalhas de ouro europeias conquistadas pela seleção masculina em sua história (2009, 2011, 2015 e 2022), além do ouro mundial de 2019, da prata olímpica de 2012, do bronze de 2016 e mais um bronze europeu. em 2017. Aos 63 anos, hoje sua dedicação à seleção nacional é completa após encerrar o vínculo com seu último clube, o Virtus Bologna, em setembro de 2023.

Miguel Mendes assumiu a liderança da seleção feminina em 2021, e no passado conseguiu que o EuroBasket subisse ao segundo nível do pódio, que é a 14ª medalha neste século para as mulheres, além da fórmula de qualificação para o Paris Jogos, que no caso dos homens ainda contam com a vitória em Valência antes das Olimpíadas no período de 2 a 7 de julho.

“Temos os melhores líderes para guiar o nosso destino”, disse Elissa Aguilar na quarta-feira sobre os dois treinadores. “Confiamos neles para criar a mesma linha de trabalho em todas as categorias. Não temos medo de descer do pódio, não temos medo de ser fiéis aos nossos valores e à nossa história. elementos-chave, dão-nos uma garantia para o futuro Somos uma equipa, somos Espanha. Temos Respeito. Há um sentimento de pertença que nos foi transmitido como legado e que nos torna melhores que outras equipas.

Nos sete meses desde que foi eleita pela primeira vez presidente da federação, em 2 de outubro de 2023, substituindo Jorge Garbajosa (que saiu para dirigir a FIBA ​​​​na Europa), Aguilar incentivou a assinatura do acordo coletivo para o basquete feminino e o crescimento. de licenças federais para os atuais 411 mil, que é o máximo histórico. Seu lema, O futuro é hoje. “Já não é novidade que eu, mulher, sou presidente da FEB”, afirma.

Você pode acompanhar o EL PAÍS Deportes em Facebook E éou cadastre-se aqui para receber Nosso boletim informativo semanal.



[ad_2]

..

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *